quarta-feira, 9 de abril de 2008

Vaginose Bacteriana

A Vaginose Bacteriana é uma infecção da vagina que ocorre em função de um desequilíbrio ecológico na flora vaginal, causado pela redução das bactérias “protectoras”(lactobacilli) e pelo aumento das bactérias “estranhas” (predominantemente, Gardenerela vaginalis, microplasmas e bacilos anaeróbios), por contaminação, deixando a vagina “desprotegida” e gerando-se assim um ambiente mais propicio à entrada do vírus HIV(causador da Sida e de outras doenças sexualmente transmissíveis).

Esta contaminação está, na maioria das vezes, associada ao contacto de fezes com a vagina, quer pela má higiene (uso inadequado do papel higiénico ou do bidé) quer pelo contacto do pénis com o ânus e depois com a vagina. Daí ser muito importante usar um preservativo para a relação anal e outro para a penetração vaginal e limpar a vagina sempre da frente par traz, impedindo assim, que as fezes cheguem à vagina.
As mulheres com Vaginose Bacteriana apresentam corrimento vaginal com um odor desagradável, mais acentuado após o coito e no período menstrual, geralmente de cor branca ou cinza e com aspecto cremoso. Podem sentir ainda, ardor ao urinar, comichão em redor da vagina e dor durante as relações sexuais. No entanto, podem existir mulheres que têm a doença e não apresentam qualquer um destes sintomas.

O diagnóstico desta doença é feito através de uma consulta de ginecologia, por meio de um exame de bacterioscopia (um pouco de corrimento vaginal é colocado numa lâmina e depois é examinado ao microscópio) e/ou por medição do pH vaginal (durante um minuto é colocada uma fita de papel indicador de pH em contacto com a parede vaginal e depois consoante a cor que a fita apresenta consegue-se saber o valor de pH daquela vagina).
O tratamento da Vaginose Bacteriana é feito à base de medicamentos antimicrobianos, como o metronidazol oral ou com clindamicina intravaginal. No entanto, a doença pode voltar mesmo após o tratamento.
As implicações mais serias causadas pela vaginose bacteriana são: parto prematuro ou recém-nascido com peso abaixo da média; infertilidade ou danos graves nas trompas de Falópio; maior probabilidade de uma mulher transmitir o vírus da Sida ao seu parceiro sexual e maior probabilidade de uma mulher ser infectada por outras doenças sexualmente transmissíveis.
A Vaginose Bacteriana é uma doença que se pode transmitir entre parceiras femininas e que está associada a ter novos e/ou múltiplos parceiros sexuais.
Os cuidados básicos que se podem ter com o objectivo de reduzir o risco de desequilíbrio ecológico na vagina e assim evitar o desenvolvimento desta doença são: o uso do preservativo durante as relações sexuais; limpar a vagina sempre da frente para trás; evitar os bidés( são sítios onde há grande acumulação de microorganismos) e levar o tratamento recomendado pelo médico sempre até ao fim, mesmo que os sintomas desapareçam antes do término da medicação.
Como os iogurtes naturais contêm lactobacilos e a vaginose bacteriana destrói as bactérias que protegem a vagina (lactobacilos), há quem recomende a colocação de iogurte natural no fundo da vagina, através de um aplicador de creme vaginal, ao deitar, durante cinco dias, como forma de tratamento/controlo para esta doença.

17 comentários:

Anónimo disse...

Muito bom o post!
informação completa. Com certeza ajudou muita gente!

Anónimo disse...

Excelente Post.
Nem minha ginecologista, esclareceu com esta clareza

Anónimo disse...

Faço as palavras dos comentários anteriores minhas! Nem minha ginecologista me explicou com tanta clareza! Parabéns

Anónimo disse...

Muito bom mesmo,me esclareceu tdas as duvidas que eu tinha,Parabénns

Anónimo disse...

Dá vontade de nem assinar como anônimo , só para elogiar com mais ênfase! Mãs...melhor não né? rs. Então, PARABÉNS! ainda bem que temos vocês, nunca minha ginecologista falou tudo isso !!!Só sabe ficar calada e preencher a receita...

Anónimo disse...

a vaginose tem q ser tratada sempre, e a gardnerella somente quando sintomatica e na gravidez e numa situação de seja necessária uma cirurgia por via vaginal , nao eh isso?
corrija-me se tiver errado..to estudando pra uma prova e preciso saber disso
grato

Anónimo disse...

otima explicação ...as vezes tenho impressaõ q os ginecologistas tem vergonha de falar que sabem..

Anónimo disse...

quem tem vagnose bacteriana corre o risco de te sempre ferida no utero

Anónimo disse...

essa bacteria causa ferida no utero

Anónimo disse...

Apenas uma correção: vaginose bacteriana não é considerada, necessariamente, uma doença sexualmente transmissível. Ela pode ocorrer por uma simples mudança no pH e na flora bacteriana normal vaginal, assim como a candidíase. Dizer que é uma doença sexualmente transmissível pode trazer confiltos não só para a mulher, quanto para o parceiro e sua relação. Então, vale corrigir essa informação!

Anónimo disse...

Adorei . vcs me ajudarão muito . sinto isso ja tem um tempo mais minha ginecologista nunka me esclareceu o que eu tinha . graças a vcs estou emformada obrigada .

Anónimo disse...

Fiquei mais tranquila, e duro sair de um retorno de uma consulta ginecologica com duvida, estava preocupada, mas agora deu para esclarecer.
W

http://medicinanaturalproblemassexuais.com/ disse...

Os sintomas são muito parecidos com os da candidiase, ou mesmo o herpes.

Anónimo disse...

é verdade que causa odor de peixe?

Anónimo disse...

Ja fiz varios tratamentos pois toda vez que eu tenho relacao volta a vaginose, meu ginecologista me passou um comprimido que introduz chamado vagi-c para utilizar todo mes, ou seja vitamina c para regular o ph e excelente reduziu muito as reincidencias, vale a pena lembrar q o tratamento e feito com antibioticos o comprimido e somente p controlar.

Anónimo disse...

Estou com esses sintomas, mas tenho problemas hormonal. Será que isso contribuiu pra me deixar mas vulnerável a algumas infecções? Isso é transmissível? Eu posso te pegado do meu parceiro?

Anónimo disse...

Quanto tempo é necessário usar vag c?Pois sempre a vaginose volta.